sábado, 11 de dezembro de 2010

INCONSCIENTE

Vagando no meu inconsciente
Procuro respostas convincentes
Às perguntas que me faço
Mas, logo no primeiro passo
Me perco nessa procura
Que parece ser loucura
Respostas que vêm e vão
Como um raio e seu clarão
Respostas que vão
Dúvidas que vêm
Como a rota de um trem
De repente...
Como um golpe de serpente
Vejo uma luz ardente
É a luz do saber
A mesma que anuncia
Que é chegada a hora
Hora de ir embora
Pra nunca mais voltar!
Então...
Encontro as respostas
Mas é muito tarde
Tudo que eu disser
Ninguém vai ouvir.

Einstein Augusto





Nenhum comentário:

Postar um comentário